Share |

Situação dos trabalhadores da empresa Transgomes

GriffinSTAX

Os trabalhadores da empresa Transgomes de transporte de carga Lda, com sede na freguesia de Figueiredo, concelho Braga, estão há 13 dias em vigília à porta da empresa para garantirem que a administração não retira os quatro camiões que ainda estão na empresa.

Antes das férias de verão o administrador informou os trabalhadores que a empresa havia sido vendida a uma pessoa de nacionalidade espanhola e que iriam de férias em agosto, ao contrário do que acontecia normalmente. Regressados de férias, os trabalhadores não conseguem falar com a administração da empresa que lhes está a dever já dois meses de salário e o subsídio de férias. Acresce que, alegadamente, 22 dos 26 camiões da empresa já saíram das instalações da mesma para parte incerta.

A Autoridade para as Condições do Trabalho visitou recentemente a empresa mas os trabalhadores não conhecem ainda as conclusões da inspeção efetuada.

O Bloco de Esquerda considera que se devem tomar providências para que a administração da empresa pague os créditos em falta aos trabalhadores e que se esclareça quem é, de facto, o proprietário responsável pela empresa.

Atendendo ao exposto, e ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda vem por este meio dirigir ao Governo, através do Ministério da Economia e do Emprego, as seguintes perguntas:

1. Tem o MEE conhecimento da situação destes trabalhadores?

2. Que esforços irá realizar o MEE para que a situação destes trabalhadores seja resolvida?

3. Quem é o atual proprietário da empresa Transgomes?

4. Quais são as conclusões do relatório da inspeção realizada pela ACT?

 

Ver a notícia no Diário do Minho 

AnexoTamanho
perg_sit_trab_da_empresa_transgomes.pdf246.48 KB