Share |

Bloco questiona Governo sobre situação laboral dos Assistentes Operacionais do Hospital de Braga

O Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda questionou o Governo sobre a exclusão dos Assistentes Operacionais do Hospital de Braga do acordo coletivo para os hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) estabelecido entre o Ministério da Saúde e os estruturas sindicais representativas dos profissionais de saúde.

Em causa está a disparidade no tratamento destes profissionais a nível nacional, uma vez que em todos os hospitais EPE (entidade pública empresarial) os assistentes operacionais fazem 35 horas semanais e ganham 635 euros mensais, ao contrário do Hospital de Braga em que os trabalhadores fazem 35 horas e ganham 519 euros ou fazem 40 horas e ganham 600 euros.

No documento entregue na Assembleia da República, subscrito pelos deputados José Maria Cardoso, Alexandra Vieira e Moisés Ferreira, o Bloco de Esquerda afirma que  "a discriminação e desigualdade entre profissionais do Serviço Nacional de Saúde é incompreensível, exigindo-se que o período de trabalho e a remuneração aplicada aos profissionais dos hospitais EPE seja aplicada também aos trabalhadores e trabalhadoras do Hospital de Braga".

O Bloco de Esquerda pretende, por isso, que o Ministério da Saúde esclareça se está acompanhar a situação e que medidas vão ser tomadas para garantir a inclusão destes profissionais no acordo coletivo para os hospitais do Serviço Nacional de Saúde. 

AnexoTamanho
Pergunta AR1.71 MB